Reciclar é poupar recursos do planeta, é aumentar a vida útil dos aterros, e gerar emprego e renda, é mais saúde, mais água, mais energia e recursos minerais para todos. Reciclar gera 30 vezes mais empregos do que enterrar os materiais recicláveis. Portanto, trata-se de uma atividade fundamental para a perenidade de nossa sociedade com qualidade de vida.

A logística reversa é um instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo de vida ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada (PNRS – Lei 12.305/2010. Capítulo II, Art. 3º: Definições).
Ainda que haja desafios iniciais para o estabelecimento de um diálogo entre os diversos setores envolvidos e, portanto, para a definição das ações, grandes ganhos serão obtidos com a implementação da logística reversa, em que todos deverão se integrar ao sistema e colaborar de forma corresponsável pela geração e coleta dos resíduos.


Compostagem

A compostagem pode ser definida como um processo aeróbio e controlado de reciclagem da matéria orgânica presente nos resíduos sólidos urbanos. A decomposição biológica e estabilização da matéria resulta em composto orgânico, cuja utilização no solo normalmente não oferece riscos ao meio ambiente. Técnicas de compostagem para grandes volumes de resíduos, a fim de atender a demanda das cidades, ainda são incipientes nos países da América Latina, contudo por meio de políticas públicas e incentivos é importante que a compostagem, como solução de tratamento e destinação final, sejam encorajadas.